Rubens Ewald Filho: paixão pelo cinema

Rubens Ewald Filho. Foto de Francisco Ucha. Crédito obrigatório.A vida de Rubens Ewald Filho poderia até virar um roteiro de filme. E dos bons, com direito à aventura, suspense e drama. Apontado como um dos melhores críticos brasileiros, ele entende de cinema como poucos. Afirma já ter visto mais de 30 mil filmes e foi chamado pela revista Veja de “O Homem do Oscar”, por ter comentado mais de 20 vezes a transmissão da entrega do prêmio para as redes Globo, SBT e o canal pago TNT e por conhecer os bastidores e a política da Academia em profundidade. “Por aí está cheio de gente que faz crítica superficial e descompromissada. Quem faz bom jornalismo nessa área foge dos releases e busca informação”, diz, com o natural tom provocativo.

Pioneiro nas críticas de filmes da televisão em jornais, na publicação de livros sobre cinema no País, na produção de guias e críticas de vídeos e em programas do gênero para a tv por assinatura e para a internet, ele é, acima de tudo, um empreendedor que não gosta apenas de falar, mas também de pôr a mão na massa. Por isso, além de criticar também dirige e produz. Isso, quando não trabalha em um ousado projeto: a criação de um pólo cinematográfico em Paulínia, no interior paulista.

Para falar sobre tudo isso e contar os bastidores de suas duas grandes paixões, cinema e literatura, Rubens Ewald Filho recebeu o jornalista Francisco Ucha, do Jornal da ABI, em seu apartamento em São Paulo para a entrevista que pode ser lida aqui. (Entrevista publicada originalmente no Jornal da ABI 341, de maio de 2009)

Anúncios